Consequências da ansiedade feminina

Consequências da ansiedade feminina

A vida moderna coloca as mulheres em um padrão emocional que não lhes é natural, mas esse comportamento é um propulsor para o descontrole emocional e para o desencadeamento das crises de ansiedade feminina.

A ansiedade assume números assustadores pelo mundo e as mulheres estão no topo das pessoas com maior risco e incidência da doença.

A vida moderna coloca as mulheres em um padrão emocional que não lhes é natural. São muitas cobranças, medos, preocupações e a percepção de precisa modificar a sua essência para se adequar às necessidades da vida.

Mas, como você já deve ter lido no artigo porque as mulheres são mais atingidas pela ansiedade, esse comportamento é um propulsor para o descontrole emocional e para o desencadeamento das crises de ansiedade feminina.

E as consequências são inúmeras para a vida da mulher. Além dos sintomas físicos possíveis (se você não sabe quais são pode ler nesse artigo aqui), inegavelmente existem efeitos negativos em diversos aspectos da vida da mulher.

Efeitos da ansiedade feminina

Em 2017 uma publicação nas redes sociais viralizou, tendo sido compartilhada mais de 400 mil vezes em menos de uma semana. O desabafo da americana Brittany Nichole Morefield no Facebook falava sobre o que significava conviver com a ansiedade feminina.

“Ansiedade não é só ter falta de ar. É acordar às três horas da manhã com o coração acelerado. É começar a ter coceiras sem qualquer motivo. A ansiedade faz você se estressar por coisas que podem nem ser reais”, escreveu.

As palavras publicadas por Brittany repercutiram além do esperado simplesmente porque muitas mulheres se identificaram com a mensagem. Apesar de os efeitos da ansiedade no corpo e na mente serem reais, muitas vezes eles não são fáceis de serem descritos.

Um dos primeiros sintomas que devem servir de alerta para as mulheres é a estafa mental. A mulher é naturalmente mais ligada às emoções e, portanto, se não houver atenção e cuidado, os pensamentos podem sair do controle.

As conversas mentais e o excesso de pensamentos sobre o passado e, principalmente, o futuro, podem causar facilmente um processo de estafa mental que elimina a capacidade dela de pensar com clareza.

Nesses momentos o estresse aumenta e as explosões de frustração, culpa e raiva podem dominar a mente. Essas emoções se transformam em um ciclo vicioso, que se autoalimenta, gerando ainda mais conversas mentais e preocupações e mais ansiedade.

Mudanças na vida da mulher com excesso de ansiedade

Quando não há controle para esse ciclo de pensamentos o humor oscila e ela permite, inconscientemente, ser inserida em uma nova realidade criada que é repleta de preocupações e medos, na maioria das vezes irreais.

Esse estado mental gera efeitos físicos como taquicardia, dor e aperto no peito e na garganta, insônia, entre outros, e o foco da vida passa a ser pensamentos negativos. Esses fatores se transformam em ainda mais motivos para ter medo e se preocupar com o futuro, gerando mais ansiedade feminina.

A vida paralisa. Como o foco está voltado para o medo de ter uma possível doença e as preocupações relacionadas, a pessoa deixa de produzir e de gerenciar sua vida como antes.

O rendimento no trabalho cai, os relacionamentos familiares e de amizade são comprometidos. Muitas vezes fobias sociais são desenvolvidas nesse momento. Um medo muito grande de ser ridicularizada ou uma sensação de incapacidade e fraqueza toma conta da mente.

Quando a família e os amigos não compreendem a situação e minimizam seus efeitos, a sensação de isolamento tende a aumentar. A pessoa se sente sozinha, incompreendida e incapaz de continuar sua vida.

Como reverter esse cenário?

É fundamental dar um basta nesse ciclo de pensamentos e preocupações para retomar o controle da sua vida.

Existem muitas formas de ajudam a controlar esses efeitos causados pela ansiedade. No artigo anterior falamos sobre o que fazer durante uma crise de ansiedade. Nele falamos sobre algumas práticas que podem ajudar muito a reduzir os sintomas durante esse momento de ápice de ansiedade.

Mas existem algumas práticas diárias que ajudam a controlar o excesso de ansiedade e, dessa forma, evitar que ela tome conta da sua vida.

·         Pratique uma atividade manual

Cozinhar, fazer jardinagem, tricotar, cochê, são atividades que exigem grande atenção plena, além da coordenação motora. Dessa forma, durante a prática dessas atividades o ciclo de ansiedade não é alimentado e os pensamentos negativos perdem força.

·         Aprenda a respiração consciente

Para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos praticar a respiração rítmica, tranquila e consciente. Isto pode ser feito compassando a respiração e inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada.

Ao inspirar estufe a barriga e não o peito. Depois, expire lentamente, expelindo o ar pela boca. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora.

·         Escreva sobre o que preocupa você

Expressar os sentimentos, medos e preocupações ajuda a materializar os pensamentos, trazendo-os para o mundo real. Dessa maneira é possível analisá-los e colocá-los em perspectiva. 

Escrever também ajuda a compreender os padrões mentais e a identificar os gatilhos da ansiedade.

·         Dedique tempo para se cuidar

Reservar algum tempo do dia para você e ser capaz de ouvir suas reais necessidades pode contribuir diretamente para o controle da ansiedade.

Saber olhar para si, atender e contribuir para sua meta de vida é uma ação de grande poder para sua vida.

Espero que esse conteúdo ajude você a identificar se a ansiedade feminina está em excesso na sua vida e, nesse caso, mostrar que existem formas de controlar essa disfunção emocional.

Até a próxima!

Deixe uma resposta